21 de jun de 2017

Análise: Luffy é inteligente?

Luffy é inteligente? Eis uma pergunta muito interessante e que merece uma análise bem profunda e detalhada, que nos remete à toda a evolução desse personagem tão querido em nossos corações! Vamos partir nesta jornada?

Bem, antes de começarmos, precisamos primeiro explicar a que tipo de inteligência estamos nos referindo.

A mensuração dos aparatos psicológicos começou por volta do início do século XIX, através de medições de reação a determinadas ações através do tempo de resposta. Entretanto, foi apenas em 1905 que foi criado o primeiro teste moderno de inteligência, dos autores Simon e Binet. Mais tarde, em 1914, Stern introduziu o conceito de QI: a idade mental dividida pela idade cronológica. Muitos anos e muitas críticas a esta mensuração depois, temos o conceito moderno de que a inteligência parte do seguinte pressuposto: a multiplicidade de níveis de organização, desde o biológico (genético, bioquímico, fisiológico, neurológico) ao contextual (história pessoal, meio físico, meio social, meio cultural). Foi daí que, em 1994, Gardner, psicólogo norte-americano, desenvolveu a teoria das Inteligências Múltiplas, que dividem os tipos de inteligência em: musical, corporal-cinestésica, lógico-matemática, linguística, espacial, interpessoal e intrapessoal, embora, por incrível que pareça, esta semana mesmo li um artigo que refutava a falta de evidência científica sobre este mesmo estudo.

Para finalizar esta revisão sobre o estudo da inteligência, na atualidade também muito se fala sobre inteligência emocional na área de Coaching, a qual adapta as experiências prévias de pessoas de acordo com as funções e competências que melhores se encaixam em seus respectivos perfis.

"Nghhhh, não entendi nada desse texto aí, Clari..."

Como averiguado, ainda é muito cedo para delimitar a inteligência no campo científico-acadêmico. Seu conceito está em constante evolução e modificação, então defini-lo especificamente me parece um pouco precoce. Mas, neste caso, para descobrir se Luffy é mesmo um personagem inteligente, nesta análise vamos nos utilizar do pressuposto de que nosso protagonista já teve experiências de combate prévias desde sua infância e isso moldou boa parte de sua vida, baseando-se portanto em seu histórico social.

Para definir a inteligência, vamos começar a analisar a personalidade do Luffy. À primeira vista, o capitão do bando dos Chapéus de Palha não parece nem um pouco esperto. Em sua primeira aparição (no mangá), Luffy é constantemente atormentado por Shanks. Pela sua idade, sua ingenuidade até que é normal e aceitável. Isso muda, porém, quando Luffy aparece nos dias atuais dentro de um barril quando tentava descer as cataratas navegar no East Blue e foi pego por um redemoinho no meio do percurso.

Sua fala é sempre descontraída e distante, e seu interesse se perde facilmente caso o assunto não lhe agrade. A ingenuidade, portanto, continua, a ponto de ir encontrar um caçador de piratas para convidá-lo para o bando. Luffy é assim: ousado e ingênuo, inocente e obstinado. E isso não muda ao longo dos capítulos. É um personagem de fácil compreensão por seus ideais simples e diretos.

Além disso, Luffy também não tem muita capacidade prática para a vida do mar. Como ele mesmo diz em Cocoyashi, ele não sabe usar espadas, navegar, cozinhar ou até mesmo mentir. A única coisa que ele sabe fazer, e faz muito bem, é lutar.
"É claro que eu não sei nada sobre espadas!
Eu não sei navegar! Eu não sei cozinhar! Eu não sei nem mesmo mentir!
Eu sei que preciso de amigos para me ajudar se eu quiser seguir seguir em frente na vida!
Mas há uma coisa que eu posso fazer... Eu posso te derrotar!"
 
E é nessa capacidade de luta que vamos nos pautar, uma vez que Luffy, no cotidiano, é completamente dependente em qualquer área que seja (mesmo se virando bem quando criança aos cuidados de Ace, Sabo e Dadan).

Desde criança, Luffy foi submetido a um intenso e rigoroso treinamento. Começou com seu avô, Garp, que o colocava nas mais diversas situações de risco para que ele aprendesse a sobreviver diante do perigo - um pouco extremo até, eu diria. Por fim, Luffy continuou treinando até completar 18 anos e se aventurar nos mares de One Piece.

A partir disto, é possível concluir que Luffy viveu uma vida rigorosa pautada em intenso treinamento. E isto se reflete nas outras lacunas de conhecimento em sua vida. Bem, mesmo que Luffy não seja lá um estrategista nato, ou que possua um conhecimento de livros, ele se mostra um excelente lutador. Ele não é tão estratégico como outros piratas e combatentes do mundo de One Piece, como Trafalgar Law ou Crocodile, por exemplo, mas isso não o impede de criar estratégias improvisadas ao longo de seus combates.

Um dos primeiros exemplos que podemos avaliar é o quanto ele consegue adaptar suas habilidades a favor de combates específicos: na luta contra Crocodile, ele percebeu que para atingir um usuário de Logia, era necessário algum líquido para dar liga à areia da Suna Suna no mi. Ao notar que seu sangue foi capaz de estabelecer superfície contra seu inimigo, Luffy, utilizando-se da sua Gomu Gomu, adaptou-se para o famoso Mizu Luffy, um reservatório de água necessário para atingir Crocodile.

Mizu Luffy!

Outro bom exemplo é quando Luffy se depara com o Mantra, habilidade de Enel que viria mais tarde a ser reconhecida como um derivado do Haki da Observação. Como Luffy seria capaz de acertar Enel se seu inimigo sabia exatamente o que ele ia fazer? Não contente com uma, ele encontrou duas respostas! 

Sua primeira ideia foi... Isso mesmo, desligar seu próprio cérebro e depender apenas de reflexos e instintos, sem pensar em mais nada que pudesse dar a Enel alguma vantagem através do Mantra. Gomu Gomu no... booooh!


Bohhhh..

Luffy percebe que esta técnica não é suficiente para combater Enel. Nosso protagonista então, muito espertinho, tem outra ideia. Se nem mesmo Luffy souber para onde seus golpes se direcionam, seu inimigo também não poderá prevê-los. É nessa hora que ele alonga seus braços e ataca a Arca, de costas para Enel. Conforme o vilão se aproxima, os socos de Luffy dão ricochetes nas bordas da Arca, fazendo com que o campo ao redor dele vire uma espécie de área de bala perdida, o que se prova efetivo e afeta o inimigo.

Diferente do Gomu Gomu no Gatling Gun, 
o Gomu Gomu no Tako Hanabi não objetiva o alvo.

Luffy também se mostra muito versátil ao lidar com equipamentos e habilidades especiais que variam de acordo com a situação. A primeira investida exterior de combate que Luffy recebeu foram as cem almas usadas para potencializar suas habilidades de luta, o Nightmare Luffy! Recebendo ajuda das vítimas de Moria, Luffy foi capaz de conter todas as cem almas por dez minutos, quando o número máximo de almas que pessoas normais conseguiram segurar foram uma ou duas. Isso só demonstra o quanto Luffy tem um forte coração e espírito.

 Biiiirl!!

Outro fator externo que Luffy adaptou em um combate específico foi em Impel Down. Sabendo que não poderia tocar Magellan devido à Doku Doku no Mi, Mr. 3 isolou sua pele através do Doru Doru Candle Armor, uma armadura feita de cera. E convenhamos que essa armadura ficou muito legal que até mesmo o próprio Luffy começou a chorar de emoção!

"Kakkoii!!"

Analisando estes casos específicos, é possível entender que Luffy tem uma capacidade gigantesca de se adaptar a combates dos quais ele não está acostumado. Mas se você pensa que a inteligência dele para por aí, está redondamente enganado. Ainda temos um grande fator a ser explorado, a sua própria Akuma no mi que, assim como os brasileiros, olha pro limite e fala "kkk limite".

A famosa fruta do djabo

Acho injusto e desnecessariamente polêmico comparar um personagem de borracha de uma mídia com outra. Temos aí diversos personagens nas HQs, como o Sr. Fantástico, o Homem-Elástico e o Homem-Borracha (socorro!!), sem mencionar a Mulher-Elástica do filme Os Incríveis. Porém, como somos pessoas sensatas, não vamos nos aprofundar em discussões do gênero. Vamos nos pautar apenas em um elemento: Luffy elevou as propriedades da borracha a um nível nunca antes visto. É bem verdade que nosso capitão tem um conhecimento admirável de sua própria anatomia, sendo capaz de inflar vários tecidos diferentes do corpo (incluindo os próprios ossos ao usar o Hone Fuusen, literalmente "osso de ar"). Mas ele não para por aí. Ele também é capaz de acelerar o metabolismo do corpo ao bombear sangue rapidamente por toda a sua circulação sanguínea, uma habilidade que ele só aguenta porque exatamente é feito de borracha. Sim, estamos falando do Gear Second!

"Agora a &%*# ficou séria."

É óbvio que esta habilidade lhe garante um dano secundário, cujo resultado é diminuir sua expectativa de vida. Mesmo assim, Luffy não liga muito pra isso e continua abusando de suas marchas. E falando em marcha, o capitão não se conteve com o Gear Second. Ele acelerou e passou para a terceira! Como já dito anteriormente no exemplo do Hone Fuusen, Luffy no Gear Third é capaz de inflar partes específicas de seu corpo, aumentando-as em proporções literalmente gigantescas. Antes do timeskip, o dano colateral o fazia encolher por alguns momentos antes de voltar ao tamanho normal. Depois de seu treinamento, isto não mais ocorre, o que garante que ele o use sem medo de "recoil".

A mão do soco chega a tremer!

Mas antes de passarmos para a próxima marcha, vamos fazer uma pausa de 2 anos... Não, é brincadeira! Quem passou dois anos treinando em Rusukaina com o Rei das Trevas Silvers Rayleigh foi o Luffy! Lá, ele aprendeu o conceito de Haki, algo muito polêmico entre os fãs mais fervorosos, mas que particularmente eu gosto bastante. Haki é uma habilidade que vem da força de vontade. Ele se divide em três: Observação, Armamento e Rei. É bem comum que combatentes se especializem em apenas um tipo, já que sua carga e dificuldade são realmente grandes. Mas, novamente, Luffy, que não conhece limite, é tão bom combatente que se especializou nos três!

Com o Haki do Armamento, Luffy consegue aumentar sua dureza e resistência, além de ser capaz de acertar logias sem dano. Mas ele não para por aí, como sempre. Luffy tem a capacidade de revestir seu Gear Third com Haki, o que eleva ainda mais seu poder de dano. Lembrando que Haki não "anula" sua akuma no mi, ele consegue usá-lo a seu favor (e vamos nos aprofundar nisso em breve).

Luffy está pistola...

Quanto ao Haki da Observação, ainda não é possível saber se Luffy já o demonstrou em sua capacidade plena ou se tem algo a mais a oferecer. Sabemos que um bom Haki da Observação no bando pode ser mencionado através de Sanji, que se especializou no mesmo. Além disso, Usopp também despertou essa habilidade em Dressrosa, aliando-a à sua alta capacidade de mira. Por fim, o exemplo que temos agora de Haki da Observação mais afiado vem de Katakuri, capaz de ter insights sobre o futuro. Será que Luffy vai chegar a esse ponto também? Ficamos no aguardo.

"Muito lento."

Por fim, temos o famoso Haki do Rei, um tipo raro e seleto que, obviamente, o nosso capitão teria. É um Haki muito poderoso, difícil de ser usado. Uma das pessoas mais especialistas nesta área é Shanks, o Ruivo, capaz de botar praticamente a tripulação inteira do Barba Branca para dormir. Mas Luffy tem treinado bastante. Antes mesmo de aprender seu conceito, Luffy já o havia despertado, a exemplo, em uma cena icônica em Marineford quando Ace está prestes a ser executado.

Depois de seu treinamento, Luffy consegue usá-lo sem um motivador emocional. Apesar de isso exigir um tempo limite para que use a habilidade novamente, o capitão tem um grande poder, como visto na Ilha dos Tritões quando deitou 50 000 tritões com apenas um olhar.

Death stare~

E agora sim, meus amigos, agora sim chegamos no ápice de combate e performance de Monkey D. Luffy! Depois de ter se especializado em todos os Hakis e ter os adaptado às suas habilidades, agora nosso querido capitão elevou sua fruta a um novo conceito. Isso mesmo, estamos falando do Gear Fourth!

Apesar de sua aparência duvidosa, não se deixem enganar. Através de sua quarta marcha, Luffy é capaz de inflar sua estrutura muscular, distribuindo o ar pelo seu corpo. Por fim, ele se reveste de Haki do Armamento, emitindo um vapor constante, principalmente em seus braços e pernas. Assim, ele se transforma no Boundman, uma estrutura diferenciada que tem como efeito colateral sua incapacidade de ficar parado, quicando a todo momento (daí advém seu nome).

Dizem que se ele cair de perna aberta, sai dançando Sweet Dreams

O que diferencia o Busoshoku (Armamento) do Luffy neste caso é que, mesmo sendo revestido, suas propriedades elásticas NÃO são abrandadas. Ou seja, ele é capaz de usar o Haki do Armamento sem perder elasticidade, o que aumenta absurdamente seu poder de dano e resistência. O próprio Doflamingo, um ótimo combatente, ao tentar chutá-lo na costela e perceber que seu corpo se manteve elástico, se admirou com esta capacidade de Luffy. Sem mencionar que sua velocidade também é absurda, a ponto de permitir que ele plane no ar apenas usando a propulsão de suas pernas. Tem noção do quanto este rapaz desenvolveu suas próprias técnicas de batalha?

Será que ainda veremos Luffy com uma quinta ou até mesmo sexta marcha? Eu particularmente acredito que sim. Depois de toda esta análise, minha única conclusão possível é que Luffy é um gênio de combate. Sim, ele não é inteligente como temos a concepção de inteligência, mas baseando-se no fato de que ele tem uma capacidade absurda de se adaptar às mais diferentes situações de combate e que a maior parte de suas próprias técnicas foram criadas por ele mesmo, é inegável que Luffy é um dos melhores combatentes de One Piece. Nesse ponto, eu acho muito injusto dizer que ele vence apenas na base do protagonismo. Luffy dedicou sua vida tanto ao treinamento intenso desde pequeno quanto às pessoas que ele ama e protege até a morte. Luffy tem pleno potencial para se tornar o futuro rei dos piratas. Claro que ainda temos muito chão pela frente e que ele precisa mostrar mais poder de luta em comparação ao nível dos Yonkou, por exemplo. Mas se nem mesmo o Oda sabe como vai fazer isso, quem somos nós para nos aprofundar nisso agora, não é?

E aí? O que acham? Luffy é extremamente habilidoso em combate ou não? Não esqueçam de deixar suas opiniões nos comentários! Até a próxima, pessoal!

 
Copyright © 2014 Um Pedaço. Design por OddThemes