21 de out de 2015

Devaneios: o que Oda nos ensinou sobre preconceito

Olá mais uma vez, queridos e queridas. Gostaria de estar aqui escrevendo minha coluna por um motivo mais ameno, mais descontraído. Mas, como fã de One Piece e como humana que sou, meu coração hoje se encheu de tristeza. Não de hoje, mas das notícias que rolaram na minha timeline durante a semana. Então, para não perder a fé na humanidade, preciso discutir sobre algo muito sério: preconceito.

O que preconceito tem a ver com One Piece? TUDO. E se você, fã, não entendeu isso ainda, precisa reler a obra. Pare de ler esta matéria e comece do volume 1, tudo de novo. Vá pela sombra.
Para quem aprendeu a ser alguém melhor lendo/vendo One Piece, suba a bordo, pois vamos conversar a respeito de 3 tipos de preconceito: racismo, xenofobia e homofobia.

Antes de começar, vamos esclarecer o termo preconceito. O termo pode ser entendido como um "sentimento hostil, assumido em consequência da generalização apressada de uma experiência pessoal ou imposta pelo meio; intolerância". Ou seja, é tudo aquilo que se sente desprezo a partir de um pré-julgamento. É sentir ódio daquilo que não se conhece ou se vive. O preconceito está presente nas coisas mais simples do cotidiano, muitas vezes encobertos por piadas, algo extremamente perigoso. Afinal, o "huehue" permite tudo, não é? A zoeira não tem limites, não é? Concordo que a zoeira saudável é ótima, eu mesma vivo fazendo brincadeiras, é parte de mim. Mas eu sei até que ponto posso brincar, e esse ponto é quando eu não ofendo meu semelhante pelo o que ele é. Agora que estamos esclarecidos, vamos falar sobre os tipos abordados na matéria.

Racismo



Uma rápida pesquisa na Wiki torna tudo mais compreensível. "Racismo consiste no preconceito e na discriminação com base em percepções sociais baseadas em diferenças biológicas entre os povos". Ou seja, é todo tipo de pensamento ou discurso baseado apenas em diferenças biológicas (muitas vezes, associadas à quantidade de melanina). Vamos nos recordar da Ilha dos Tritões um pouco. O conflito que existe entre tritões, sirenos e humanos é absurdo, certo? Uma raça odeia a outra pelo simples fato de serem diferentes. Temos aí exemplos das duas vias:
- Arlong: odeia humanos simplesmente por serem humanos.
- Tenryuubitos: desprezam, escravizam e torturam qualquer espécie inferior ao seu "sangue sagrado", sejam escravos humanos, sereias, tritões, gigantes e por aí vai.

Entretanto, temos aí um exemplo que nos ensina o verdadeiro valor que devemos ter em relação aos outros: Otohime, que morreu pela causa a qual acreditava. Ela não forçava ninguém a acreditar no que ela acreditava, muito menos usava da violência para tal. Otohime morreu tentando mostrar que as espécies podem viver em harmonia. Infelizmente, Hody desvirtuou seus ideias e, através disso, disseminou ainda mais seu ódio. Luffy mostrou que seu ódio não o levaria a nada e, depois de derrotá-lo, ainda protagonizou a cena mais marcante da saga: Jinbe doando sangue para Luffy. Esta cena simboliza não somente uma amizade e um futuro nakama, simboliza a união das espécies. Significa que um tritão e um humano têm valores iguais. Significa que todo o preconceito de uma espécie em relação a outra é algo tão sem sentido e propósito. E por fim, essa diferença não significa nada para Luffy e Jinbe porque eles são, antes de tudo, amigos.

O que isso tem a ver com você? Tudo isso quer dizer que:
- Brincar que um cosplayer de One Piece está errado porque a cor da sua pele não condiz com a cor do personagem é racismo;
- Menosprezar a opinião de um fã de One Piece simplesmente pela cor da sua pele é racismo;
- Julgar os gostos e opiniões de um fã pela cor de sua pele é racismo.

Há muitos outros exemplos, mas eu quero me focar nas atitudes que estão presentes nos fóruns e páginas de One Piece.

Xenofobia



Xenofobia "é o medo, aversão ou a profunda antipatia em relação aos estrangeiros. Pode ter como alvo não apenas pessoas de outros países, mas de outras culturas, subculturas, sistemas de crenças ou características físicas". Em One Piece, temos um bom exemplo disso na saga de Skypiea. Shandians foram levados a Skypiea pela Knock-Up Stream e tiveram suas terras, antes parte de Jaya e agora chamadas de Upper Yard, tomadas pelos Skypieans. Desde então, Skypieans e Shandians travam conflitos pelo direito da terra.
Wiper é um personagem extremamente intolerante. Ele não aceita ajuda dos Mugiwaras simplesmente por serem um povo do Mar Azul, tanto é que atacou o bando quando fizeram contato pela primeira vez. Wiper também não tolera os Skypieans porque eles lhe usurparam sua terra. Logo, os dois povos nutrem preconceitos simplesmente por suas origens. Não importa se de um lado temos Aisa, uma menina extremamente doce e atenciosa que almeja o bem de seu povo, e de outro, Conis, que também quer que Skypiea seja um lugar ameno. Wiper também mostrou como uma pessoa intolerante pode mudar com a vivência de outros povos.

É muito importante nos atentarmos às formas de generalização. Por isso, a lição de Skypiea tem tudo a ver com nosso cotidiano:
- Desprezar fãs pela sua origem e nacionalidade é xenofobia;
- Diminuir a opinião de fãs pela sua origem é xenofobia;
- Generalizar um povo, dando-lhe atributos negativos, é xenofobia.

Um preconceito xenofóbico muito comum na nossa comunidade se dá em relação aos nortistas/nordestinos. Eu gostaria de lembrar aos fãs que o Nordeste é uma região que se destaca muito em relação a One Piece. O fandom lá é enorme, muito mais do que imaginamos. Então respeito antes de tudo!

Homofobia


Homofobia é a "rejeição ou aversão a homossexual e à homossexualidade". É todo preconceito que permeia desde pensamento até atitudes que desviem da orientação sexual conhecida como "normal" (estre aspas, pois o termo "normalidade" é um conceito criado para desviar tudo aquilo que é diferente do comum). Oda ainda não nos colocou frente à uma situação de homofobia explícita em seu mangá. Entretanto, temos personagens extremamente fortes e carismáticos que nos dão exemplo de vida. A começar por Bon-chan que, mesmo vindo por um caminho errado pela Baroque Works, mostrou o valor de uma amizade, sacrificando sua vida (duas vezes) pelo bem de Luffy. Um ótimo lutador, um ótimo amigo, um ótimo companheiro. Bon-chan é tudo isso e muito mais.
Também temos Ivankov, o melhor exemplo de diversidade sexual do mangá. Iva é homem, Iva é mulher, Iva é trans, Iva é tudo isso e muito mais. Atua no Exército Revolucionário a fim de trazer um mundo mais justo e ainda salvou o Luffy da morte com seus hormônios.

O que os nossos okamas tem a ver com o nosso cotidiano? Muita coisa:
- Usar palavras como "gay, lésbica, travesti" com intuito de ofensa é homofobia;
- Agredir verbal ou fisicamente uma pessoa pela sua orientação sexual é homofobia;
- Menosprezar qualquer opinião ou atitude de alguém pela sua orientação sexual é homofobia.


Veja bem, não estou tentando enfiar nenhuma doutrina na cabeça de ninguém. As pessoas podem, por exemplo, ser contra o casamento homoafetivo, DESDE QUE o motivo não seja "porque eu não gosto de gay". Convenhamos, né, o que você gosta ou deixa de gostar é problema seu.
Para concluir este texto gigante, eu gostaria de lembrar o elemento comum em todos os exemplos que eu dei: Luffy. Luffy não se importa com sua origem, Luffy não se importa com seu porte físico (chamou até o esqueleto pro bando), Luffy não se importa com quem você beija ou deixa de beijar. Se você é fã de One Piece e admira o Luffy como eu, com certeza aprendeu tudo isso com ele. Aprendeu que uma amizade vai além de espécie, cor, porte físico, orientação sexual, origem, idade, akuma no mi e todo o resto.

Eu vejo um discurso muito recorrente na atualidade: "As coisas estão muito chatas, tudo é muito politicamente correto, não se pode brincar com nada mais". Acho que as pessoas que dizem isso atualmente estão reclamando de barriga cheia. Acontece que agora as pessoas que antes sofriam caladas com o preconceito começaram a se levantar. Isso incomoda quem está numa posição de privilégio, na posição de fazer piada. Eu continuo rindo muito todos os dias e não preciso de piadas racistas, xenofóbicas ou homofóbicas para rir. É o seu tipo de humor que tem que mudar.

Sei que não podemos mudar o mundo, não podemos acabar com o ódio que existe entre as pessoas, mas eu gostaria de fazer um apelo aos fãs de One Piece pelo menos: Oda nos ensina que uma amizade é mais importante que qualquer outra coisa, e ele faz isso há 18 anos. Eu quero acreditar nisso mais do que tudo. É isso o que me dá forças para continuar, para tentar tornar o mundo um lugar melhor. Porque eu quero viver com as pessoas mais exóticas possíveis a minha volta, porque isso é divertido, porque isso me enriquece. Luffy é assim: ele tem no bando um ciborgue, uma rena, um esqueleto, futuramente terá um tritão, tem subordinados tonttatas e gigantes, é amigo de okamas, shandians, sereias e por aí vai.

Que o mundo seja feito de mais Luffys! |x|

 
Copyright © 2014 Um Pedaço. Design por OddThemes