5 de jul de 2015

Japonega vision: Treta em Ohara

Oi! Tem gente que não me conhece. Mas eu sou membro do uP desde o início, juro! Tô tomando coragem pra conversar com vocês por vídeo, mas tá complicado!


Existem coisas sobre Ohara, que nem todos sabem... e o post de hoje tem a função de esclarecer (e criar dúvidas) e acima de tudo: informar e entreter vocês!

Bom, vamos lembrar umas coisas sobre os protagonistas da história:


Vamos começar por uma menina que na época tinha 8 anos, a mãe deu um perdido e foi procurar informações sobre o Poneglyph. Ela vivia com os tios, era rejeitada pelos primos e por todos da ilha aonde mora. Era uma versão da Cinderella do West Blue.

Os tutores a ignoravam e só cuidavam de seus filhos, e sem ter quem a cuidade, ela acabou virando uma empregada em casa.

Que desde aquele tempo, a Robin era uma menina meio triste/emo/gótica isso é indiscutível! Mas mesmo assim, existiam pessoas que se preocupavam com a pequena. Os arqueologos de Ohara viraram sua família.


Foi negado à Robin, fazer o seu doutorado em Poneglyphs, o seu estudo em Poneglyphs, porque um estudo do tipo, a única recompensa que você vai ter é a morte. Então ela correu chorosa para a costa da ilha.

Lá, ela conehce a vítima de um naufrago de nome, cujo nome é Jaguar D. Saul. Não demorou nada para ele ver que a Robin tinha um bom coração e virar amigo da pequena. 

Ele ensinou uma lição, que mesmo depois de crescida, é algo que ainda está presente na memória dela: "Você ri quando está feliz, portanto, rir faz você feliz. Mesmo quando o mau te acontece, você deve rir! Rir até quando dói!!" Isso não é válido para quando bate o dedinho na quina da mesa.




No centro de Ohara existia uma árvore, ‘A Árvore do Conhecimento’, é um ctrl c ctrl v da Árvore Branca de Gondor e João e o pé de feijão. Ela podia viver por milhares de anos apenas alcançando imensas altitudes. Nessa mesma árvore existia uma fucking biblioteca que a tornou o motivo de orgulho daquele lugar, não pelo fato de conter quase toda a história da humanidade. Mas sim, por  também servir como laboratório para a investigação dos arqueólogos de Ohara (mas apenas os que ganharam o título de estudiosos após passar por exames aplicados pelo diretor da biblioteca. O ENEM de Ohara)





Mesmo sendo tão nova, a Nico Robin passou nesse exame e pode ser oficialmente um arqueóloga de Ohara, após isso, ela soube o que é ter uma festinha feita por pessoas queridas.
Mas ninguém contava que a intenção por trás disso tudo da Robin, era estudar e descobrir a verdadeira história do "Século Perdido"










O que é o Século Perdido?

Ninguém sabe.

Existem várias teorias sobre o quê diabos pode pode ser isso. As pessoas que sabiam ler o poneglyph, foram queimadas em Ohara... menos uma pessoa... 

Até hoje não se sabe o porquê do governo mundial querer tanto esconder isso, vai ver é uma fucking receita de um bolo super fofinho e macio, e cheiroso <3 adoro bolinhos, gente.






Agora como diabos uma pessoa foi sobrevivente do atentado à Ohara? Simples! Houve uma pessoa avisando que o governo mundial iria atacar à ilha, visando matar todos os estudiosos para manter o segredo escondido. Essa mulher é: Nico Olvia, vulgo Daenerys Targaryen do One Piece.

Por ter avisado a chegada da marinha, ela também foi condenada a morrer pelo 'buster call'.










O 'acidente' já havia começado, e no início finalmente a Robin conseguiu encontrar sua mãe, e tenta lhe dizer que por terem a mesma profissião, podem ficar juntas… Mas Olvia não podia aceitar, por puro medo de que as duas morressem.

Boa parte da ilha já havia sido atacada, e a e estava chegando o momento de todos abandonarem a ilha, com exceção dos arqueólogos, claro. Foi o momento do abraço carregado de sentimentos entre Robin e Olvia.





A relação da Robin com o Kuzan começou a partir dali, enquanto ela tentava fugir de todo aquele caos.

 Ele vendo aquela menina de 8 anos completamente só, indefesa, assustada e em perigo, acaba colocando-a em um bote para deixar a ilha. Mas prometeu que se algum dia ela se tornasse uma ameaça, ele seria o primeiro a vir para colocar a Robin no xadrez.


Assim Robin deixa Ohara, que ardia mais que os 7 infernos, seguindo o conselho do Saul, tentou ignorar a dor e sorrir.
Nada mais nada menos que 79.000.000 berries foram oferecidos pela cabeça de Nico Robin, com a desculpa vagabunda de ser uma das causadoras da tragédia ocorrida em Ohara, e assim ela acabou sendo perseguida pelo resto da vida.


Entenda as referências!


Como todos sabem, One Piece está cheio disso. Sejam em nomes, músicas, aparências, lugares, golpes... e não seria diferente em Ohara. Andei pesquisando, perguntando à pessoas. E achei algumas.

Vocês com certeza já ouviram falar do bombardeamento de Hiroshima e Nagasaki. Aquela treta causada pelos americanos e... vocês já ouviram essa história antes.

Pelo o que conversei com o meu tio, que já ouviu muita história sobre quando era menor de gente que foi sobrevivente ao ataque. OP não mostrou tão diretamente, mas a devastação do buster call é parecida com a bomba atômica usada no bombardeio ao Japão. Não apenas pelo formato da explosão, que parece muito com a vista principal da ilha, mas pelos danos causados também. Não acredito que isso seja um acaso posto pelo Oda. Ele sempre faz isso.



Ohara também é o nome de uma cidade rural no norte de Kyoto, uma cidade calma conhecida por seus Templos. Lá fica localizado o Jakko-in Temple, que sofreu um incêndio criminoso em 2000. 

Esse incêndio ficou muito conhecido no Japão, porque o templo além de ser muito antigo, era muito querido. É um fato bastante comentado por lá até hoje, quando acontecem incêndios. Então acredito que essa foi uma referência do Oda.



O post ficou grande, mas foi feito com carinho! Espero que tenham gostado, e desculpem o sumiço!

;* até, queridos!
 
Copyright © 2014 Um Pedaço. Design por OddThemes