17 de mai de 2015

Top 5 do Iury - Parte 2



 

Ae, chegou a segunda e última parte do Top 5 de personagens do Iury, nesse post eu vou falar um pouco (não da pra falar tudo senão eu ia escrever um livro só sobre a Robin) da minha opinião e os motivos de eu gostar tanto do Law e da Robin.


2 – Trafalgar Law.


O Law assim como o Rocinante já me chamou a atenção logo de cara pela aparência, o Oda foi mostrando um por um os Supernova. O Capone resmungando da Bonney, a Bonney reclamando pela falta de comida, O Hawkins apartando uma briga, o Kidd e o Appo caindo na porrada, o Urouge e o Killer também brigando e sendo apartados pelo X-Drake e o Law garotão na dele só vendo o circo pegar fogo. De cara eu pensei “esse cara deve ser foda”.

Depois lá na casa de leilões enquanto estava rolando um caos pela invasão dos mugiwara ele estava de novo garotão, de boa na dele sem mover um dedo, de novo eu pensei “esse cara deve ser foda”.

Ele não é um brigão que grita por qualquer coisa e parte pra luta como um louco. Ele analisa muito o seu entorno antes de fazer algum movimento, e nisso eu me identifico muito com ele. Como eu citei antes dos personagens que eu gosto, ele planeja, ele usa inteligência.

Quando o Oda coloca do lado de fora Luffy, Law e Kidd pra enfrentar a marinha ele meio que estava dizendo ali, “Esses são os 3 supernovas principais”, e quando o Law começou a usar as técnicas da Room eu pensei, “Caraca!! Que porra é essa?!!”, e achei muito maneiro.

Depois disso eu confesso que esqueci um pouco dele, a grande surpresa foi quando ele apareceu do nada em Marineford pra ajudar o Luffy. Ali eu percebi que ele não seria um personagem qualquer na trama e comecei a prestar mais atenção. “Porque ele quer salvar o Luffy? Eles não são rivais/inimigos?”, isso me intrigou muito, “esse cara não só tem características que eu gosto num personagem como ele também tem um mistério envolvendo o Luffy”. 

Quando ele apareceu em Punk Hazard como um shichibukai foi “CARAAAAAAAAAAA#%$#@$, QUE FODA!! O que esse cara tá tramando agora?!!” Primeiro ele ataca os mugiwara, fazendo alguns trocarem de corpo, e você fica “Puta merda, porque ele fez isso?!!” e depois ele pede pra formar uma aliança com o Luffy e “WHAT?!!”

É a partir daí que ele fica ainda mais interessante como personagem porque você vê aquele cara que é totalmente sério, suas risadas são todas sarcásticas, ele não parece se importar com nada além do seu plano que foi meticulosamente planejado tendo que conviver com o grupo mais zoeiro da Grandline, (parece até que ele entrou no Um Pedaço, auehuaheh) que é comandado por um capitão maluco que faz o que dá na telha e acha que formar uma aliança significa automaticamente que eles agora são amigos.


Ai o Oda faz cenas incríveis de comédia dele todo desconcertado no auge de sua seriedade tendo o Chopper amarrado na cabeça, ou revelando sem querer que ele não gosta de pão quando ninguém mais ta prestando atenção no que ele fala, é uma dualidade muito maneira. Parece até um poder místico dos mugiwara fazer tudo virar bagunça xD

Com o desenrolar de sua história, a apresentação de novos detalhes da vida dele: o passado trágico na cidade que é destruída, ter que se envolver com bandidos, viver anos e anos em trevas, a forma distante como ele interage com as outras pessoas, até integrantes do bando dele, o interesse pelos D., a uso da inteligência muito mais do que da força bruta, e a mudança sutil de personalidade depois que ele encontra os mugiwara se assemelham muito com a trajetória da Robin.

É incrível no quanto eles se parecem, e no quanto o Oda manda bem na construção de personagens complexos.


1 - Nico Robin

Agora lá vem texto mesmo.


A Robin não foi minha personagem favorita logo de cara, mas nem de longe, quando ela surgiu meu personagem favorito era o Luffy. Vou confessar que o que me chamou a atenção nela primeiramente foi a aparência, mesmo naquela época que os personagens ainda pareciam bonequinhos a Robin já era uma personagem muito bonita.

O meu apresso por ela foi crescendo a cada vez que eu relia e revia One Piece, a cada nova recapitulação que eu fazia ela ganhava mais e mais importância pra mim, hoje ninguém mais tira ela dessa posição.

De início eu nem liguei muito pra ela, achei que ela seria só uma vilã que em algum momento seria derrotada. No meio do caminho de Alabasta eu tomei um spoiler de um amigo que lia scans que ela entraria pro bando (eu lia os mangás da Conrad e ele já estava em Water 7 nas scans), mas até ai tudo bem, eu não ligava muito, só parei pra prestar atenção no porque ela entraria, mas desde essa época sempre que aparecia num quadro meu olhar ia automaticamente pra ela, porque ela era muito bonita (deosa desde sempre).


A medida que eu ia avançando em One Piece novas informações sobre a história geral do mundo , que não necessariamente tem a ver com o Luffy, iam aparecendo e quando eu voltava pra me inteirar mais sobre aquela coisa, quem me trazia as respostas? Ela, a deosa linda, maravilhosa.

E nessas tantas voltas pra saber informações sobre a história geral de One Piece eu fui me aprofundando na personalidade daquela personagem que até então passava meio batida, e ai eu vi a verdadeira genialidade do Oda quando se trata de construção de personagens. A Robin é de longe a personagem mais complexa, mais bem trabalhada e que mais evoluiu em questão de personalidade em One Piece.

É tão sutil que ao longo do mangá você não nota muito, mas comparando a Robin de hoje com aquela que apareceu no Merry em Whiskey Peak são pessoas tão diferentes quanto a sua aparência mudou com o desenvolvimento do traço do Oda.


Ela era inicialmente uma vilã, mas ela era estraña (opa), não agia totalmente como uma vilã. Ela indicou um caminho supostamente mais seguro, ela vazou informações da Baroque Works pra Vivi, ao mesmo passo que ela pareceu matar o Igaram e quebrou o Pell, mas salvou o Luffy e ainda pediu pro mesmo cara que ela quebrou pra cuidar dele. “Caraca!! O que essa mulher quer?”

Então vem a “traição” ao Crocodile, mas ela acaba se dando mal por conta disso. Naquele momento ela perdeu as esperanças, foram muitos anos de buscas por um sonho e esse sonho sempre esbarrava em tantos inimigos que ela não aguentava mais, ela desistiu do sonho, como consequência ela desistiu da vida (O Oda sempre trabalha isso de ter um sonho destruído ser pior que a morte), mas então o garoto de borracha não deixa ela morrer, (ela poderia até ter se suicidado depois ou nunca mais ter aparecido que daria na mesma), mas ela decide seguir um outro caminho, que surpresa!! Agora ela quer seguir esse garoto que carrega um D. no nome pra saber até onde ele pode chegar e o que o destino reserva pra ele.

Nesse momento ela é tão distante de todo o bando que ela mal interage com o grupo, tá sempre num canto quieta lendo um livro ou tomando um café, ela nem sequer chama o pessoal pelo nome: é navegadora-san, cozinheiro-san, espadachim-san, narigudo, etc. Ela não se sente parte daquele grupo.

Chegamos em Jaya/Skypiea, nessa saga o Oda mostrou todos os aspectos: exploradora, historiadora, arqueóloga, guerreira. Foi incrível, GG, 10/10, Ultra Combo 777 hits.

Também é em Skypiea que a chama do sonho dela se reacende quando ela descobre os escritos do Roger, genial!! Ela perdeu o sonho em uma saga e o resgatou em outra, isso é construção de personagem.


Depois vem a saga que a grande maioria considera a melhor: Water 7/Ennies Lobby. Começa um puta mistério da Robin abandonando o bando, uns caras mascarados sinistros que deixam ela com muito medo, ela parece ter traído os mugiwaras (algo que o Aokiji disse que iria acontecer mais cedo ou mais tarde).

O Luffy não acredita nisso, ele nunca desconfiaria de uma Nakama, e por ele não desistir dela descobrimos que essa suposta traição foi na verdade para os proteger, "Cara, que incrível!!" Mesmo ela sendo calada, não interagindo tanto com o grupo, ficando sempre à parte da maioria das coisas, mesmo não querendo, ela não conseguiu se manter distante e não criar uma afeição por aquele bando de malucos. Ela se sacrificaria por eles. “CARAMBA!! Ela tá se aceitando no bando!!”, mas ainda tem toda uma relutância de se aceitar, nesse momento nós vemos o passado terrível que ela teve, e como o Saul previu um dia; a força dos amigos finalmente conseguiu eliminar as trevas do seu coração e pela primeira vez na vida ela sentiu que pertence a algum lugar.

CARACA!! Isso é tão marcante pra ela que depois de Ennies Lobby ela então passa a chamar o pessoal do bando pelos nomes!!

A partir de Ennies Lobby ela até aparece mais vezes no decorrer das sagas, ela vira até alvo de piada em Thriller Bark. (Docking).

Em Shabondy um momento que depois de reler me chamou atenção foi a Robin saber quem era o Law. Muitos Supernovas foram introduzidos e ela sabia quem ele era, o que mostra que ela é uma pessoa bem informada. Ela também explica pro bando tantas outras coisas ao longo do mangá e se mostra uma pessoa tão bem informada que qualquer coisa que o Oda queira colocar de História no mangá é só por as palavras na boca dela que automaticamente a informação ganha credibilidade.

Então nós temos depois do ataque da marinha em Shabondy, lá na Tequila Wolf, ela aceitando passar os 2 anos com os revolucionários falando que pela primeira vez ela tem um motivo pra ficar mais forte (Robin sua linda).

Rola o timeskip, e quando a Robin voltou dos 2 anos, ela voltou diferente, não só de aparência, mas em leveza, ela estava mais sorridente, ela comeu o bentô antes do tempo a caminho de Punk Hazard, ela estava nostálgica quando eles foram presos pelo Caesar lembrando de Alabasta, em Dressrosa ela começou a fazer caras e bocas, coisa que ela nunca tinha feito, ela está mais mugiwara do que nunca.

Com a reapresentação da Koala e saber que elas duas são amigas próximas, o Oda mostra o quanto ela mudou de verdade. Antes a Robin não confiava em ninguém, daí ela passou a confiar naquelas poucas pessoas do bando e agora ela consegue se permitir ter intimidade com essa menina com quem ela deve ter passado boa parte dos 2 anos (parando pra pensar ela passou mais tempo com a Koala que com o próprio bando).


Outro aspecto que mudou nela foi com relação as frases de humor negro que ela sempre fazia e com o timeskip elas praticamente sumiram, é quase como se ela não quisesse nem falar pra não correr o risco de acontecer de fato com essas pessoas que ela se importa tanto.

É isso, a Robin tá mais linda que nunca, é diva, deosa, inteligente, instruída. Uma coisa que eu gosto muito é que ela não fica gritando feito uma louca igual a Nami pra tudo que acontece. O Oda tem vacilado em usá-la muito pra fanservice e deixá-la de fora das lutas importantes, mas quando se trata de evolução de personalidade ele mata a pau. Tomara que o Oda volte a mostrá-la como ele fez em Skypiea.

E como não podia faltar, eu shippo Lawbin fortemente, flw vlw. xD


Eita porra, escrevi mais ainda, texto gigaaaante, suculeente, mas é isso pessoal, espero que tenham gostado e até a próxima o/.


 
Copyright © 2014 Um Pedaço. Design por OddThemes