16 de jul de 2014

Review: Capítulo 753 - Guerra

 
  
Jovens de todo esse Brasil, como vão vocês? 
Mais uma review essa semana, vamos debater um pouquinho sobre o capítulo 753! ~by Clari and Paloma

Sabe aquele momento em sua mãe faz um bolo e você acha que vai raspar a massa do liquidificador, então chega todo alegre, feliz e saltitante e descobre que não tem mais massa porque ela já lavou o liquidificador? Foi assim que eu me senti essa semana hehe.

E sabe quem lavou o liquidificador? Foi o Bellamy. É, Oda, mais uma vez, quebrou todo nosso clímax e expectativas. Mas tudo bem, vamos ver o que ele tem pra nos oferecer.

Bellamy aparece diante de Doflamingo cheio de ressentimento e piedade. Eu, sinceramente, nunca entendi essa necessidade de se provar digno para a galinha voadora. Quero dizer, o cara tenta te matar de uma forma super sádica e, com toda sua humilhação, você consegue seu perdão, indo para Skypea, trazendo um pilar de ouro, provando sua lealdade, pra no final apanhar das pernas divosas do Dellinger. Sério, Bellamy, você parou meu flashback pra isso?


Tudo bem, Bellamy é guerreiro, Bellamy é persistente e quer saber: “Por que você me odeia tanto, sua franga emplumada?”
Doflamingo responde com cautela, dizendo que ambos possuem metas diferentes. Bellamy se contenta com a função de pirata, mas o Mingo nãaao. Ele quer ver o mundo pegando fogo.
É nesta cena que quero tanto me pautar. Doflamingo há muito tempo vem trazendo referências de um personagem conhecido: o Coringa.


Ué, Clari, como assim? Primeiro, seus subordinados de maior patente são naipes do baralho, enquanto sua alcunha do submundo é Joker. Segundo, ele é um tanto quanto sádico. Por fim, a referência final: querer ver o mundo em caos.
Meu conhecimento sobre o Coringa é bem leigo, admito, mas que ambos querem ver o circo pegando fogo, isso ficou bem claro nesta fala. Isto também explica o por quê do Mingo ter gostado do pirralho psicopata do Law, ele se enquadrava em suas aspirações.

Eu tinha muita admiração pelo Dofla, mas recentemente eu deixei de vê-lo com tanta racionalidade, sinto que há muito sentimento envolvido e isto quebrou um pouco da imagem que havia feito dele. Ele seria um Croco 2.0 se ainda mantivesse essa linha mais fria, mas ele é aflorado (?) emocionalmente, dando um rumo diferenciado entre os dois antagonistas (muito bem trabalhados, inclusive).

Turno da Paloma agora. Sobre o começo do capítulo. Fico pensando para que servirá essa conversa do Bellamy com o Dofla. Tipo, o fato do Dofla querer destruir o mundo e tal, tinha que ser falado justo pro Bellamy? Não podia ser na luta dele com o Law/Luffy? HMMM.

Será que a escolha por Bellamy é uma indicação que o saco de pancada da saga fará alguma coisa significativa após receber tamanha humilhação de Doflamingo? Vamos lá, então, Bellamy, faça algo, caso contrário essa conversa com Dofla não terá valido de nada.

Essa coisa de Coringa é bem legal mesmo, mas o próprio apelido dele no submundo já remete a esse tipo de caos: Joker. Não me surpreende nem um pouco Oda ter lido bastante Batman hahahaha

Prosseguindo, no segundo andar, a treta tá louca. Slayman está lutando com a divosa Dellinger. Dellinger faz uns kage bunshin com sua velocidade consegue confundir o inimigo e ataca ferozmente com seu chapéu de chifre. Agora vamos analisar: como essa divosa consegue se mover tão rápido com aqueles saltos Luís XV? Muito suspeito. Mas não para por aí, Dellinger usa roupa de estampa de girafa, mas chifra igual um touro. Este é um rapaz muito diversificado mesmo. Slayman não teve nem tempo de reagir diante de tanta purpurina.

Chinjao sobe as paredes com mais maestria que o Homem-Aranha, mas não vai muito longe, pois Gladius faz com que ela exploda, derrubando Chinjao. Reparem no estilo Hollywood do Gladius, virando-se para a câmera enquanto ocorre a explosão no fundo.





Machvise não perdoa e sai dando voadora no Boo. Lao G acerta Orlumbus e Baby 5 acerta Dagama. Bem que eu suspeitei que alguns do coliseu não seriam páreos  para o bando do DD. Mas achei que Chinjao caiu muito fácil para alguém que se igualava ao nível do Garp.

Paloma: Momento que vejo tanta coisa desnecessária em um só capítulo. Randons brigando, e mais, levando a pior. Sério que precisávamos disso? Achei algo bem enrolado, mas vamos ver o que nosso querido autor tem em mente. Prefiro ver o desafio da Robin e Franky do que ver os passos dos caras que estavam no Coliseu. Pra mim nenhum é carismático o bastante para ter tanta atenção assim, e as motivações são bem fracas, na minha visão. Só gostei mais do Bartolomeo, mas ele não está na muvuca, está justamente com a Robin.

Enquanto isso, na cidade, os cidadãos começam a parar de atacar os demais forçadamente, sabe o que isto quer dizer, B1? Quer dizer que, assim como a gaiola está diminuindo de tamanho, o poder do Dofla está chegando ao limite. O que reforça que toda akuma no mi tem sim um limite. Dofla está usando 100% dele ao manter a gaiola, usando o Parasite e, até um capítulo anterior, usando seu clone de fios. Ele pode estar bem fisicamente, mas ninguém faz o que quer com 100% de força o tempo todo. Logo mais, sinto que a gaiola irá, ou pressionar todos os cidadãos ao mínimo de espaço possível, ou se desfazer. Neste ritmo, ela não vai crescer muito mais.

Partindo agora para o núcleo dos Tontattas, finalmente eles estão usando um pouco de inteligência, coitadinhos. Revi a Wicca, que há muito estava sumida. Com a ajuda dos anões de Green Bit, eles finalmente conseguiram abrir a fábrica. Depois de terem sido enganados tanto tempo, conseguiram se levantar e atacar os subordinados da galinha. “Amigos não mentem”. Own <3

Paloma: Essa parte foi a melhor parte do capítulo. Anões começando a se juntar e acreditar que podem derrotar a família Donquixote. A determinação deles foi muito legal de ver.


E, enfim, para a última parte do mangá, os bravos guerreiros que estão correndo há 30 capítulos. Sinto-me lendo Impel Down/Marineford, CHEGA LOGO, LUFFY, DESGRAÇA.

Kyros quer se vingar de Diamante, ele tem todo o direito, uma vez que foi ele quem matou a mãe da Rebecca, cena triste dos infernos, chorei lendo, pois é. Cavendish não tinha plano nenhum, ele só queria abrir caminho pro Luffy passar, obrigado novamente por interromper meu flashback pra isso.

Na última página, vemos Dagama mostrando que realmente é um ótimo estrategista, só faltou a música do 30 Seconds to Mars “This is war” ~

Adorei de paixão o golpe do Cavendish, Exupery faz referência ao autor do Pequeno Príncipe, Antoine Saint Exupery. Seus kanjis significam “Stardust”, que literalmente, pode ser lido como poeira estelar ou alguém com uma qualidade muito carismática.

Que dizer sobre este final? Há muito tempo tenho observado dois nomes de Dressrosa. Bartolomeo e Cavendish. Cavendish foi apagado pelo ódio que sente por cada supernova (e eu amo cada supernova, vai vendo). Barto já ganhou carinho do público, quer seja quando mandou toda a plateia tomar no toba (meu caso), quer usando sua akuma no mi apelona by Mr Mime, quer virando fã número 1 da tripulação do Luffy.

Eu já gostei do “Couvedish” por causa de sua técnica de combate, quando ele é tomado pelo Hakuba. Agora, eu sinto que ele nem está fazendo isso para ajudar o chapéu de palha, e sim, para se aparecer. Eu não sei o que espera este jovem, mas de coração, eu queria MUUUUUUUUUUUUUUUUUITO que o Cavendish e o Barto se encontrassem no quarto andar e peitassem dois executivos de uma só vez. As coisas poderiam sem encaminhar pra isso, Kyros luta contra Diamante. Pena que o Pika já é do Zoro risos. Sobrou Trebol, gosmento e cheio de amor para dar. 


Bem, não esperem que seus personagens favoritos (exceto Luffy, Law e Kyros) tenham batalhas épicas. Queria ver Robin, Rebecca, Violet, Barto e Cavendish, todo esse povo lutando, mas parece que não veremos isto nessa saga.

Pra um capítulo que veio depois de um break de 1 semana, minha nota é 6,0.
As lutas foram encaminhadas, os Tontattas começaram a agir, Bellamy vai se decidir entre ajudar Luffy ou continuar um babaca que se arrasta pelo Doflamingo e, certamente, semana que vem veremos o quê? Mais Luffy e cia correndo.

Paloma: me sinto da mesma forma que a Clarissa, parece Impel Down 2.0. Correm, correm e dá tudo errado e chegam no último instante para tentar arrumar a cagada toda. E nessa saga aparecerão personagens apenas de momento e que sumirão logo depois que a saga terminar. Podem aparecer futuramente por provavelmente se tornarem aliados do Luffy, mas não há como Oda desenvolvê-los a todo instante.

Sinceramente? Quero o bando. Parece que eles estão sem identidade, sem união, sem tempo para mostrar do que são capazes. Tudo isso porque o Oda está com diversas ramificações na saga e não consegue dar atenção aos mugiwaras de forma merecedora. A luta do Franky para mim é superimportante, assim como a missão da Robin de aparecer no LVL 4 e se juntar ao Luffy, assim como a luta do Zoro com o Pica é uma luta que todos estão mais interessados.

Mas...terminamos com um capítulo onde a vez foi dos randoms. Pena, esperava mais desse capítulo. Dou uma nota 4 com todo gosto e 3 pontos somente para os anões, pois eles fizeram esse capítulo não ser tão desastroso. O outro ponto vai para Kyros dizer que quer lutar com Diamante. Não que esse capítulo prejudica a saga, porque até então tivemos informações e momentos épicos, mas, individualmente falando, para mim, foi um capítulo muito ruim.

É isso aí, galera, opiniões, críticas, comentem com sabedoria. Até lxl
 
Copyright © 2014 Um Pedaço. Design por OddThemes