12 de jul de 2014

[Fanfic] Aventuras de Koala – 1: Companhia Inesperada



Hoje o dia foi cheio. Tão cansativo que estou dormindo em pé e não são nem dez da noite. Mesmo assim ainda preciso ficar no mirante durante a madrugada, vigiando o entorno de Baltigo. Apesar de essa base estar segura há anos, sempre nos prevenimos. Somos revolucionários afinal, a qualquer momento a Marinha pode tentar alguma coisa.

Em dias assim, que eu preciso de concentração total, meu haki da observação é ainda mais aguçado. Por vezes trago papéis em branco para escrever táticas de espionagem, de fuga, estratégias de combate...Mas ultimamente tenho trazido esses papéis para escrever datas e acontecimentos da história desse mundo, detalhe por detalhe para não esquecer do ódio e da intolerância do homem e de tudo que ele é capaz. Eu tento pensar como os tenryuubitos mais asquerosos e as justiças distorcidas de marinheiros, mas é difícil manter a sanidade quando você tenta ser o que não é e acreditar no que mais teme.

Só que hoje é diferente, não consigo me concentrar. Não sai uma única palavra sequer da mente, pois hoje...hoje foi um dia cheio. Essa barreira que diminui meu haki e meus pensamentos tem um porquê. E se chama Nico Robin.

“A Luz da Revolução”. É assim que ela é chamada por nós, todos sabemos quem é Nico Robin, todos nós admiramos sua perseverança de fugir e se manter viva durante 20 anos, todos nós temos receio e respeito em conversar com ela. Mas eu...Talvez seja algo além disso, eu não admiro apenas sua ficha de fugitiva, eu quero aprender com ela, quero tentar fazer a história ser valorizada pelo próprio povo também, quero que saibam que as diversas raças existentes não precisam se odiar, bastam querer conhecer uns aos outros. Eu aprendi assim, gostaria de ser capaz de transmitir esse ensinamento a todos.

Estou seguindo para o mirante norte dessa vez, ficarei sozinha como sempre devo ficar em dias assim. Tenho a absoluta certeza que meus pensamentos serão preenchidos pelas frases e vozes de Robin. Ela está aqui em Baltigo há pouco mais de um mês e ela já me balança de maneira estranha. Tenho medo de parecer informal demais, devo me comportar assim com ela também? Ah, o que está acontecendo com você, Koala? Nunca foi assim, está velha demais para pensar como uma adolescente admirada por ver seu ídolo pessoalmente. Aja como é e fim, sem drama, okay?

Okay. Droga, já estou rindo de mim mesma mentalmente nesse momento. Não tenho muito mais o que fazer, não é? Tenho que aceitar que serei uma admiradora e a considerarei uma sensei. Mas...provavelmente não sou só eu que acredito nisso, certo? Fomos ensinados a saber tudo da Robin, exatamente por ela ser uma sobrevivente de Ohara e tudo que permeia seu passado. Pra ela eu sou mais uma bitolada por sua história.

Não sei se poderei estar perto dela nos dois anos que ela ficará conosco. Também não sei se terei chance ou conseguirei conquistar qualquer tipo de atenção dela. É tudo tão incerto que eu não deveria pensar nisso tudo, deveria me manter calma e controlada, fazendo o que eu sei de melhor como revolucionária. É isso, então, se decidiu? Certo, agora tenho que me concentrar para ficar de vigia.


Certo, cheguei no dormitório feminino. Agora é trocar a vestimenta e utilizar trajes para enfrentar o frio da madrugada e também separar cobertas para me aquecer mais. Ainda tenho que ir à cozinha e levar alguns petiscos e bebidas. Bem....vou tentar levar um livro e um bloquinho para escrever...qual livro? Nada de história, isso não vai me ajudar a esquecer. Vai ser ficção mesmo.

- Ah, ainda tem gente por aqui...É que hoje estou me mudando para cá. Não sei quanto tempo ficarei, mas vou precisar roubar uma cama, sabe qual que está vazia....é Koala o seu nome, correto?

Essa voz...Eu nem percebi que alguém estava por perto! Eu disse que meu haki está todo desfocado. Tá....tá, calma, calma...calma, preciso me virar, não se empolgue e não saia correndo para abraçá-la, não brilhe seus olhos e não grite, Koala. Mas.....A Robin LEMBROU MEU NOME??? Como??? Nos falamos pouco até agora, e são tantas pessoas em Baltigo...NHYA, que felicidade! Estou tão sem foco que não sei se ela bateu na porta. Soe normal, normal, Koala!

- É...Hoje é meu dia para ficar no mirante, estou preparando minhas coisas... – A Robin falou sobre uma cama vazia....vazia, né? Tá...Isso parece que foi combinado. Eu fui a última a ser promovida para um cargo de certa liderança....E eu estreei a nova beliche...Me cheira a trabalho de Sabo isso.– Sobre uma cama vazia, é...ok...ok...isso foi meio inesperado, mas tem sim uma cama pra você, na parte de cima da minha beliche...Pode ficar com ela.

- Oh, então seremos parceiras de beliche? Ótimo, já vejo que tem uma estante de livros aqui, o quarto é grande...onde posso deixar minhas roupas e o quais são as principais coisas que devo saber? Alguma regra que vocês utilizam?

- Bem...tem esse armário em frente a beliche que possui gavetas vazias, pode usar. Tem um banheiro para todas nós daqui também. Não há muitas regras, mas lavamos nossa própria roupa e arrumamos nosso canto do quarto. Esse dormitório é para os cargos femininos mais altos, mas eu mesmo não sou nada demais...participo de missões com o professor Hack e já formei equipe com o Sabo. Mas como a hierarquia é levado a sério aqui, fiquei na mesma ala que as professoras, apesar de eu não ser bem uma professora. – Sério isso, Koala, tentando se mostrar humilde? 

- Deixando isso de lado, eu preciso ir para a cozinha me alimentar e também preparar os petiscos para a madrugada, desculpe não explicar tudo detalhadamente, mas as meninas logo chegarão aqui e poderão se apresentar. Como você já sabe, sou a Koala, prazer, qualquer dúvida, o que eu puder ajudar, aqui estou! – Óbvio que o sorrisinho saiu automático....não consigo me controlar com isso, estou animada, estou conversando com a Robin!!! Oh...espera, ela está esticando a mão...Quer me cumprimentar? Calma, calma...

- Prazer, senhorita.

Eu segurei na mão da Robin, é isso mesmo, rebeldes? YES!

- Ok, acho que entendi algumas coisas básicas, mas posso tirar só mais algumas dúvidas?

- Claro, Robin, ainda tenho uns minutinhos na verdade. Desculpe a pressa, foi meio inesperado isso tudo.

- Huhu, entendo. Eu trouxe alguns livros comigo, posso colocar na estante de vocês ou existe separação para cada uma? E sobre comida e bebida, pode trazer? E por fim, vocês convivem muito juntas ou aqui é sossegado? Porque só aceitei vir pra cá com o motivo que aqui é mais calmo do que a central, onde o Dragon fica.


- Os livros, tudo bem compartilhar conosco, nós temos uma prateleira para cada uma, infelizmente não existe uma vazia, mas pode misturar com os nossos livros, ninguém se incomoda. Com isso já aproveito pra dizer que somos sim amigas, mas temos nossas tarefas, então nosso convívio não é muito grande, porém, às vezes, acontece uma festinha do pijama no fim do mês. De resto, é bem tranquilo. E comida e bebida...isso é mais individual, eu não trago nada, mas não tem nenhuma proibição quanto a isso. Acredito que expliquei tudo, te convenci a ficar? – OH, estou natural, não é possível, você conseguiu mesmo, Koala??? ISSO É UMA VITÓRIA!

- Huhuhuhu, convenceu sim. Vai ficar em qual mirante dessa vez?

- Mirante Norte. Já ficou alguma vez na torre?

- Não, muita coisa para organizar, não tive tempo.

- Oh, passa lá algum dia então, apesar da madrugada, dá para ver uma paisagem muito bonita. – É a primeira vez que você conversa com ela direito e você faz isso? Parabéns, Koala, você acaba de alimentar a ideia que somos viciados na Robin - Ah...é...desculpe, estou sendo inconveniente, não é? Você deve receber esses convites todo dia.

- Na verdade não, acho que o pessoal ainda possui certo medo de falar comigo. Só o Sabo que de tímido e medroso não tem nada, huhuhu. Acho que já tomei muito seu tempo, você tem que se arrumar para ir ao mirante. Eu também vou organizar minhas coisas no dormitório...

- Ah, ok, tudo bem, estou indo então, boa noite, Robin.

- Koala?

- Oi?

- Obrigada pelo convite, vou pensar nele.

Hoje...realmente foi um dia cheio. Isso foi um primeiro passo ou é impressão minha? Robin dormirá na cama de cima da beliche QUE EU durmo, vamos nos ver com mais frequência e talvez ela fique umas horas no mirante... Ainda bem que não trouxe nenhum livro. Meus devaneios e viagens (mentais, claro) já serão preenchidos com esse encontro. Dessa vez não tenho do que reclamar, tudo bem meu haki não funcionar direito e meus rascunhos não serem feitos. Estou feliz, um sonho pode se realizar, está cada vez mais perto.

- Droga, não consigo tirar o sorriso da minha cara, hahahaha. 

Fim


 
Copyright © 2014 Um Pedaço. Design por OddThemes