25 de nov de 2013

Pensamentos Alheios: O que é ser fã de One Piece?



Aeeee, depois de um tempo sem fazer um texto de opinião para a coluna, estou de volta. Desculpe a demora de lançar um texto, galera.
Mas dessa vez eu resolvi falar sobre isso para explicar uma coisa básica não só sobre o que vocês veem/verão nos meus vídeos, mas uma pequena análise sobre o que é ser fã.

Apenas avisando que esse texto é uma mera visão PESSOAL. É o que eu vejo, não que necessariamente é, porque ser fã e falar disso é subjetivo.

O que é ser fã? Isso é uma coisa que eu me deparo todo dia desde a época do Orkut. Muito se fala que temos que amar, temos que ser fieis e incondicionais, que temos que achar One Piece o melhor mangá/animê existente, que temos que gostar de toda a obra. Aceitá-la sem questionar. Sim, isso já foi tema de diversas discussões desde que me entendo falando de One Piece.

E naquela época (no Orkut), que eu lembro muito bem por conta de terem sido discussões muito ricas, muito específicas,  eu aprendi muito com elas. Isso no Facebook é ainda possível, porém a dinâmica é diferente, a discussão é muito mais rápida, imediata. Então, por vezes, não consigo acompanhar, aprofundar, entender. O pessoal na comunidade da pP sempre organizava os textos e as ideias de forma melhor, inclusive eu. E naquela época eu via várias pessoas que conheciam há anos a obra - que tinham um carinho ímpar, ou vários sentimentos em volta da pessoa - e eram julgadas por “não serem fãs de verdade”, por não gostarem do autor, do protagonista, da saga ou qualquer coisa nesse estilo.




As pessoas que acompanhavam One Piece desde a Conrad – ou até antes dela – começaram a questionar a obra em Amazon Lily. E isso durou até a guerra de Marineford, mais ou menos. Foi a época que mais houve discussões sobre a história, sobre os rumos de personagens, sobre “se OP estava perdendo a essência”. Eu achava uma discussão justa, afinal, todos têm liberdade de expressar suas opiniões. Porém, foi uma reação de muita gente, logo, eu sempre a levei em consideração. Então, sim, ali, no começo de Amazon Lily eu comecei a ler One Piece com outros olhos.

E reli a história. Hoje eu também questiono Thriller Bark. Para mim, o Oda até agora não bateu a tríplice: Alabasta, Sky Piea, W7/EL. Essas foram as sagas, ao meu ver, com mais mistérios, com mais pegada, com mais história, com mais emoção, com mais surpresas. Enfim, completa do começo ao fim. Isso é discutível? CLARO QUE É.




Mas uma coisa que todo fã e também todo simpatizante têm que entender é que não há distinção entre quem é mais fã que quem. Ninguém é obrigado a achar Marineford a melhor saga, até porque, como disse, quem acompanhava OP há mais tempo tinha uma opinião crítica por conta de diversas mudanças do Oda.

Uma pessoa que não gosta de um ou outro personagem, um arco ou saga, uma roupa ou um local, uma cena ou um Flashback não é menos fã do que aquele que gosta de tudo e acha o máximo. Indagar, questionar faz parte de nós, logo, qual o problema de você não gostar de algo e publicar isso para o mundo? Se você não está ofendendo, se você não está sendo idiota e está levantando questões que podemos debater e pensar, onde está o “câncer” nisso?

Eu vejo que existe um certo preconceito rondando a fã base de OP sobre expor aquilo que tu não gosta. E eu utilizo uma simples análise: os meus vídeos. Se eu falo do que eu gosto e do que me emociona, há sempre votos positivos. Quando falei do Brook, onde disse: pessoalmente falando, recebi comentários que não estavam nem de acordo com o que eu falei, como, por exemplo, o caso de utilidade e inutilidade do personagem. E Brook é só um exemplo genérico.

Quando estamos abordando uma visão, uma opinião pessoal, claro que o assunto não será imparcial. Aliás, ser imparcial é uma das coisas mais complicadas no meio comunicacional. Vocês acham mesmo que um “hater” verá dois lados? Não, ele sempre usará meios MUITO convenientes para falar mal daquilo. Um fã, como eu, você e qualquer outra pessoa que está lendo esse texto, verá coisas que agradam e desagradam. O que desagrada pode ser maior, assim como o contrário, mas não muda o nível de fã. Aquele fã que adquire tudo da obra não é mais fã que aquele que nem compra o mangá, da mesma forma que aquele que ama mais um personagem não é mais fã que aquele que detesta esse mesmo personagem.   


Aliás, um fã de OP não precisa achar OP melhor que tudo. Há "n" mangás no mercado japonês. ELE, NA VERDADE, É ENORME. Com tanto material assim, é até normal OP não ser considerado o melhor na opinião de muita gente. 

Há coisas que me agradam da guerra de Marineford, assim como Amazon Lily, Impel Down, Thriller Bark, Brook...mas há coisas que eu não consigo aceitar, coisas que me ferem, que me deixam irritada. E isso é natural, porque nem tudo tem que, necessariamente, me agradar. Nem a você, nem a ninguém. Não precisam levar para o pessoal, fãs e simpatizantes não querem ferir o seu sentimento ou a sua visão, eles só querem mostrar como aquilo o atingiu. 

Por isso, galera, sejam mais relax. E continuem a gostar de OP da maneira de vocês, mas também dando opiniões e respeitando a visão dos outros, porque não gostar, detestar, se irritar faz tão parte de nós tanto quanto amar, desejar e chorar de felicidade. 








Agora, fiquem felizes (ou permaneçam felizes hahaha) e paguem pau para o Chouchou.


 
Copyright © 2014 Um Pedaço. Design por OddThemes